Correr na esteira é mais fácil do que correr na rua?

Por Hailey Middlebrook, da Runner's World US

Em algum momento todos nós tivemos que recorrer aos quilômetros na esteira. Como existem muitas diferenças entre correr na esteira e na rua, os corredores praticaram tradicionalmente a regra de “1%”. Se você aumentar a inclinação da esteira em 1% vai espelhar a elevação natural de uma estrada plana. Mas esta pequena mudança na inclinação é realmente necessária para obter um treino ideal em esteira? Correr na esteira é mais fácil do que correr na rua?

Em uma nova pesquisa publicada na revista Sports Medicine, cientistas da Austrália procuraram responder a essas perguntas investigando as diferenças no desempenho de corrida em uma esteira e no chão. Para coletar esses dados, eles analisaram 34 estudos que compararam a corrida em esteira com corridas “externas”. Doze dos estudos pediram que os participantes corressem em um grau de 1% na esteira. Enquanto os outros usavam inclinações mais altas ou mais baixas.

Os pesquisadores concentraram-se em três medidas principais de comparação: fisiológicas (como os corpos dos corredores se esforçavam para manter o ritmo e terminar os treinos, medidos pela frequência cardíaca, níveis de lactato no sangue e VO2 max), de percepção (quão duro o treino era para os corredores) e desempenho (performance dos corredores no tempo).

Saiba com qual frequência você deve usar a esteira ao treinar para uma corrida 

Afinal, correr na esteira é mais fácil do que correr na rua?

Curiosamente, o estudo constatou que quando os corredores corriam mais rápido – mas não todos – na esteira, eles exibiam maiores frequências cardíacas e relatavam níveis mais altos de percepção de esforço (ou seja, a corrida era mais difícil) do que quando realizavam o mesmo exercício ao ar livre. Embora tivessem menores níveis de lactato no sangue em comparação com o exterior. Mas quando os corredores andavam mais devagar na esteira, os batimentos cardíacos e os níveis percebidos de esforço eram menores do que quando corriam da mesma forma na rua.

“Acho que correr ao ar livre é mais agradável e menos desafiador do que completar os treinos em esteira”, disse o autor do estudo, Joel Fuller, à Runner’s World. “Por esse motivo, faço exercícios de distância e velocidade ao ar livre.”

Para algumas medidas de desempenho, como VO2 max, corrida em esteira e corrida ao ar livre foram muito semelhantes. O estudo constatou que os participantes alcançaram o mesmo VO2 máximo (quanto oxigênio seu corpo pode usar durante a atividade física), correndo em 0 ou 1%, como no chão. Os corredores também atingiram uma velocidade de tiro similar na pista e na esteira.

Saiba como aumentar seu VO2 Max para correr mais rápido 

Correr mais e por mais tempo

Curiosamente, no entanto, os corredores nos estudos mostraram mais resistência correndo na rua do que na esteira. Ou seja, eles poderiam colocar mais força e por mais tempo.

Isso foi uma surpresa para Fuller. Uma vez que grande parte da corrida em esteira pode ser controlada (como vento, clima, altitude e velocidade), parece que os corredores teriam melhor desempenho em esteiras. “Ainda assim, quando os corredores são solicitados a simular uma corrida do lado de fora, eles são capazes de atingir tempos mais rápidos”, explicou ele.

Por que isso acontece? A pesquisa sugere que, como as pessoas acham que correr em uma esteira mais difícil, elas tendem a selecionar velocidades mais baixas do que são capazes de fazer.

Uma maneira de tornar o treino na esteira mais difícil é colocar inclinação. Não há dúvida de que os treinos para corrida em montanha feitos na esteira podem simular o campo real. Mas é apenas 1% faz diferença?

Bem, isso depende do seu treino. A pesquisa sugere que, se você estiver indo rápido, aumentá-lo até 1% é benéfico. Isso porque simula o tipo de resistência que você encontra quando está correndo do lado de fora. Em execuções mais fáceis, no entanto, a inclinação não é tão importante. Já que você não seria tão afetado pela resistência do vento com esse esforço.